O sistema educacional do futuro - Parte III


O novo sistema educacional consiste em estudar o que acontece com o corpo, a mente, as emoções, a vontade, o social e o espiritual da criança nas diferentes faixas etárias. A partir destas características nós podemos entender melhor o que acontece com as crianças, como e porque elas reagem a certas situações, para ajudá-las a crescer em harmonia e permitir que desenvolvam mais a fundo as suas habilidades. Entendendo estas características, nós podemos definir melhor a forma de desenvolver o seu potencial através de atividades e aprendizados adaptados à sua capacidade de compreensão.

Em cada diferente ponto de análise, sublinhamos as características que vão servir de apoio para entender como podemos falar com a criança e obter o melhor resultado, sempre considerando a maturidade da criança.

      Descreveremos as características das seguintes faixas etárias: 2 a 3 anos, 4 a 5 anos, 6 a 8 anos, 9 a 11 anos, 12 a 14 anos e também palavras importantes sobre a adolescência. Conhecendo e estudando estas características, nós poderemos aprimorar o sistema educacional e fazer a diferença na vida dos nossos filhos.
          Estudaremos como a criança sente, pensa e reage e qual é o seu desenvolvimento no campo físico, psicológico e espiritual, em cada faixa de idade.

 CONHECENDO CADA FASE EM RELAÇÃO AO CORPO

 De 2 a 3 anos
Quando a criança chega aos 2 anos de idade, uma imensa transformação já fez parte da sua vidinha, em tão pouco tempo. É impressionante o progresso que nosso pequeno ser humano já desenvolveu até aqui, desde segurar objetos com as mãozinhas até conseguir andar foram grandes esforços e progressos alcançados. E há muito ainda por vir. As crianças aprendem muito pelas emoções: uma emoção boa traz desenvolvimento positivo e uma emoção ruim constrói problemas emocionais que prejudicam seu desenvolvimento. Podemos tomar como exemplo de emoções ruins, nesta fase, dar sustos na criança ou amedrontá-la com histórias de bichos maus ou escuridão. Forçar a criança desta idade a se socializar ou agir como um adulto também criam emoções ruins para ela que tem medo do desconhecido.

Devemos nos lembrar que uma criança de 2 ou 3 anos, apesar de ter tido um grande desenvolvimento corporal, ainda não sabe nada da vida e qualquer coisa pode assustá-la como um barulho alto ou até ser separada da mãe por um breve momento. Todas as vezes que falamos com uma criança desta idade a nossa voz deve ser branda, nossos gestos suaves e devemos olhar para a criança quando falamos com ela para lhe dar atenção e afeto. Desta forma afastaremos um grande vilão chamado “sentimento de rejeição”.

As emoções boas que desenvolvem o melhor da criança são aquelas que ela sente quando a pegamos no colo, a abraçamos e dizemos o quanto a amamos e como ela é importante. Também são boas as emoções quando carinhosamente mostramos objetos ou desenhos e repetimos o nome deles ou quando brincamos e cantarolamos com palavras construtivas.

Como funciona o corpo de uma criança de 2 a 3 anos:

- nesta idade a criança está crescendo muito e precisa comer e dormir muito e gastar muita energia. É importante nesta fase continuar tendo horários para comer e dormir. A criança pequena precisa de rotina para se sentir segura e frequentar lugares que ela já conhece e com os quais já está acostumada.

- a criança se desenvolve com rapidez nesta fase e precisa se mexer muito, portanto não podemos querer que uma criança de 2 a 3 anos fique quieta sentada porque isto é contra a natureza dela nesta fase: ela aprende olhando, correndo, pulando e jogando coisas para o alto.

- seu corpinho nesta fase está desenvolvendo os músculos maiores dos braços e das pernas e não tem ainda movimentos suaves. É por isso que ela rabisca e não pinta ainda dentro dos contornos de um desenho. E para exercitar os bracinhos, a criança desta idade gosta de jogar coisas para o alto. Uma bola faz muito sucesso nesta fase e pode-se usar uma cesta grande e ensiná-la a acertar a bola no cesto. Ela vai se divertir muito. Elogie quando ela acertar o alvo, que tem que ser fácil, pois ela ainda é pequena. As perninhas estão mais firmes, portanto pode andar agora com maior segurança e aprende a pular. E com esta firmeza maior nas perninhas, ela quer se exercitar pulando e correndo e não quer parar quieta.

- e como não para quieta, a criança desta idade se cansa facilmente. Então ela vai precisar de vários momentos de descanso. Nesta idade também ela reage mais depressa do que um adulto.
- em relação ao seu sistema nervoso a criança reage a todas as impressões que recebe e aprende mais pelas emoções do que pelo processo da mente.

De 4 a 5 anos

         Quanta coisa a nossa pequena criança já aprendeu até aqui e ainda vai aprender muito mais! Lembra quando ela nasceu? Não sabia nem se virar de lado sozinha! E olha o quanto aprendeu! E como fala, não é mesmo? E não acabou. Ainda há muita coisa a aprender e o desenvolvimento sadio da criança depende dos adultos que convivem com ela no dia a dia.

         Nesta idade a criança continua aprendendo pelas emoções, portanto temos que continuar a falar com ela de forma branda e dar-lhe muita atenção. Inúmeras perguntas surgem nesta fase e nossas respostas não precisam ser elaboradas cientificamente, bastam palavras simples e sem rodeios, pois ela ainda não vai entender as nossas explicações mas apenas quer interagir conversando com os adultos. As crianças desta idade são muito alegres e inocentes ainda.

Vejamos o que acontece com a criança de 4 a 5 anos em relação ao corpo:

- o corpinho da criança ainda está se desenvolvendo e a atividade faz parte do crescimento. Porém já não se trata apenas de despender energia: ela precisa de atividade física onde podemos ensinar coordenação e propósito com jogos e brincadeiras, sem incluir a competição e sim, a cooperação.
- agora a criança está desenvolvendo os músculos menores e aprende, por exemplo, a pintar sem sair do contorno, porque adquiriu maior habilidade manual para atividades mais complexas. Seus olhinhos e ouvidos trabalham muito e a criança se cansa facilmente, portanto, vários momentos de descanso são necessários.

- nesta idade a criança gosta de cuidar de si mesma: ela quer se vestir sozinha e já consegue abotoar suas roupas. Ao encontrar dificuldades, ela deve ser auxiliada com paciência e motivação, para permitir que faça o máximo por conta própria. Ela pode começar a aprender a amarrar os cordões dos sapatos. Cada criança tem seu ritmo, não force a barra. Elogie e incentive cada tentativa.

- ela gosta também de ajudar os pais e professores. Podemos dar tarefas simples e sempre elogiar seus esforços, porque a criança repete o comportamento que a gente dá atenção.

De 6 a 8 anos
          A fase de 6 a 8 anos fecha o primeiro ciclo de 7 anos da criança e inicia outro em que a criança vai firmar em sua mente tudo que lhe aconteceu e formar o seu caráter. O próximo ciclo de 7 anos vai ‘organizar’ tudo o que foi feito até agora e vai determinar as diretrizes desta nova fase. Se a criança foi respeitada e a sua infância bem estruturada, a criança vai agora relacionar o que reteve de sua educação para confirmar em seu caráter o que deverá seguir de agora em diante. Se ela teve seus sentimentos de autoaceitação e autossegurança desenvolvidos, agora vai aprender confiante e com alegria aquilo que lhe for apresentado de maneira interessante para a sua idade. Se a criança não foi respeitada e foi maltratada, vai entrar no novo ciclo com receio de querer aprender coisas novas, por medo de ser repreendida. Ela vai então se reprimir e tornar-se introspectiva, ou vai se rebelar e agir contra tudo o que lhe for apresentado. Em ambos os casos a sua vida será prejudicada.
          Nesta idade a criança começa uma grande aventura: a escola. Embora já conheça muitas letras e números, a criança começa agora a ser alfabetizada. Aprender a ler e escrever são, para a criança, como descobrir mundos novos cheios de maravilhas e viagens na imaginação. Quando bem motivada nesta idade, a criança desenvolve um gosto pela leitura e pelo aprendizado. A motivação deve ser divertida, sem pressão e sem cobranças. Se a criança for forçada a ler vai bloquear a vontade de aprender, porque vai se sentir pressionada e se lembrar deste momento como algo ruim. Incentivos e elogios apenas.

 O corpo da criança de 6 a 8 anos:

 - a capacidade manual nesta idade é mais ampla: a criança consegue construir e até seguir alguns jogos. Muitas atividades podem ser desenvolvidas para que usem as mãozinhas para construir coisas.

- o crescimento do corpo agora é mais lento e a criança desta idade tem mais controle sobre os músculos. Assim, ela vai gostar de elaborar atividades um pouco mais complexas, como, por exemplo, o jogo dos sete erros, quando a atividade for sentada ou pulos em círculos desenhados no chão quando a atividade for de pé.

- a criança agora também já é mais independente e pode participar de mais atividades. Em várias situações em que antes solicitava a ajuda da mãe, agora a criança já pode se virar sozinha e é importante que os adultos entendam que esta fase contribui para o desenvolvimento da independência da criança que, se receber a devida motivação e atenção, quando se tornar adulto vai resolver seus problemas tranquilamente.


De 9 a 11 anos

Uma nova fase está começando agora e que pode ser maravilhosamente explorada: é a idade da alegria, da vontade de viver e da sede de aprender. O que a criança receber nesta faixa etária, tanto positiva quanto negativamente, vai ficar guardado em sua alma por toda a vida. A criança desta idade faz muitas perguntas inteligentes e não se contenta com explicações superficiais: da resposta que receber vai fazer outra pergunta. Se ela foi incentivada na leitura vai querer devorar todos os livros aos quais tiver acesso e que forem interessantes para a sua idade. Deliciosamente alegres e bem humoradas, estas pessoinhas dão muitas risadas e não se cansam de bagunçar com a turma.

Devemos permitir que esta fase se desenvolva tranquilamente, sem pressão nem cobranças demasiadas porque, em breve, vai chegar a puberdade e então a vidinha destas crianças vai ficar bem complicada e cheia de dúvidas. Portanto vamos deixar que elas aproveitem ao máximo esta fase de 9 a 11 anos. Não vamos exigir demais e podemos ficar tranquilos que esta fase da bagunça vai passar para dar lugar a sentimentos mais complexos.

Vamos entender o que está mudando e acontecendo na criança de 9 a 11 anos em relação ao corpo:

 - o crescimento corporal continua, mas mais lentamente e o fator importante agora é o desenvolvimento do intelecto. A criança vai começar a ter as suas próprias preferências que devem ser respeitadas.


- a criança tem vontade de comer mais e precisa se mexer muito. As atividades ao ar livre são muito apreciadas pelas crianças que tem energia de sobra pra gastar.

- a saúde é excelente. É impressionante e contagiante a vontade de viver e aprender mais e mais coisas e este estado de espírito ajuda na saúde em geral.

- nesta idade a criança controla bem os músculos e pode fazer coisas que jamais fará na vida adulta.
 - dançar também pode fazer parte das escolhas para esta idade, a turminha gosta de ouvir suas músicas prediletas e ensaiar sozinha ou em grupo os movimentos. Para crianças desta idade isso é divertido e ajuda a desenvolver a flexibilidade e a coordenação.


De 12 a 14 anos

         Esta faixa etária vai completar mais um ciclo de 7 anos. Esta é uma fase crítica para a criança, pois são incompreendidas e balançam entre atitudes para demonstrarem que cresceram, mas ao mesmo tempo ainda resta um pouco de saudade da fase de criança. Entramos agora numa fase complexa. Grandes mudanças estão acontecendo tanto no corpo, com a puberdade, como também na alma. Autoafirmação, autossegurança, autoestima e autoconfiança são exemplos de sentimentos que tem que ser desenvolvidos nesta idade. O apoio dos pais é importantíssimo e é necessário um grande esforço em amor para entender e orientar o ser humano agora, que está deixando de ser criança para se tornar um adolescente e caminhar para a vida adulta.

         Esta é a idade dos questionamentos e das infindáveis dúvidas, tudo parece confuso e sem sentido. A vida não é mais tão simples como era até então: estão crescendo e decisões importantes deverão ser tomadas. Este mundo confuso e sem sentido, é claro, só existe na cabecinha deles. Mas não é isso que precisam ouvir. Precisam ouvir que tudo vai acabar bem e que elas não estão sozinhas. Precisamos estar sempre por perto para conversar e ajudar e para mostrar que existe sempre um lado positivo.
 O que muda no corpo:

 - o corpo agora não só cresce como se modifica. É a fase da puberdade onde as modificações externas e internas lhes parecem estranhas. Muita paciência e compaixão é o que devemos demonstrar, elogiando e explicando como são as transformações que estão ocorrendo e porque e para que estão ocorrendo. Não há necessidade de infindáveis explicações científicas, mas apenas frases simples e positivas, demonstrando que o que a criança está passando é absolutamente normal e devemos dar incentivos para que ela possa seguir em frente.

- nesta idade a criança que agora chamamos de pré-adolescente, tem prazer nas atividades físicas e um apetite enorme. As meninas se desenvolvem mais rápido que os meninos ficando mais altas. Depois os meninos dão uma esticada e ultrapassam as meninas em altura.

- nesta idade as crianças passam por períodos alternados de energia e grande cansaço e às vezes são chamadas de preguiçosas, mas na verdade estão realmente cansadas. Elas precisam agora desenvolver seu próprio ritmo e descobrir em que horário do dia ou da noite a energia corporal e mental é melhor aproveitada. Entra fundo nesta fase a necessidade de respeito por parte dos pais e adultos que devem ter paciência para que cada pequeno indivíduo consiga se encontrar consigo mesmo. Não devemos em absoluto impor as nossas perspectivas, exigências ou cobranças. Impor o que nós achamos que é certo pode desviá-los do caminho que DEUS já preparou para elas.

- a criança nesta idade é desajeitada, pois os braços e as pernas crescem antes do resto do corpo, portanto devemos entender que se nossos filhos derrubam tudo que pegam nas mãos, ou esbarram em tudo por onde passam, é porque eles precisam se acostumar com seus membros mais compridos. Assim que terminarem o seu crescimento corporal, recuperarão o equilíbrio e a destreza, agindo com mais suavidade.
(continua na próxima semana)

Abraço carinhoso!

Jocelyne Forrat - Preletora sobre Educação de Filhos - Para Novas Gerações Abençoadas e Libertas!
PROJETO "O Que é Que eu Faço com Meu Filho?" projeto.filhos@yahoo.com.br / jocelyneforrat@gmail.com

"FAÇA A SUA PERGUNTA"
Use o campo dos comentários abaixo para fazer perguntas e tirar dúvidas. A especialista Jocelyne responderá com prazer a todas. ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sejam bem-vindos! Obrigada pela visita!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...